Bola oval

Correios fecha patrocínio com a Confederação Brasileira de Rúgbi 

Contrato de dois anos prevê a exposição da marca Sedex nas costas das camisas das seleções e em placas de campo

Por Lancepress
17/02/2017 - 15h21min
Compartilhar:
Foto: Divulgação / Divulgação,Brasil Rugby

Os Correios e a Confederação Brasileira de Rúgbi (CBRu) assinaram nesta semana contrato de patrocínio esportivo para o período de 2 anos. Assim, os Correios passarão a ser um "Major Sponsor" do Rúgbi brasileiro.

– Estamos muito orgulhosos e felizes de poder contar com o apoio de uma companhia como os Correios, reconhecida no mercado pelo seu trabalho constante de longo prazo para o crescimento do esporte brasileiro. Com o apoio deles, teremos chances ainda maiores de poder atingir nossos objetivos estratégicos e colocar o Rugby brasileiro como um esporte de relevância no Brasil e no Mundo – afirma Agustin Danza, CEO da CBRu.

Publicidade

Leia mais:
Empresário de Anderson Silva quer superluta contra St. Pierre
Mais um: Maxi Rodríguez lesiona a mão e desfalca Grêmio por um mês
Wenger vai continuar como técnico, dentro ou fora do Arsenal

O contrato privilegia ações de visibilidade para marca, mas também contempla ações de fomento ao esporte e ações sociais. Nele os Correios tem como principais contrapartidas placas de campo e a exposição da marca SEDEX nas costas das camisas das Seleções Brasileiras masculina e feminina de Rúgbi, além das chancelas de "Patrocinador Oficial da Confederação Brasileira de Rúgbi" e "Operador Logístico do Rúgbi do Brasil".

Desde 2010 a modalidade vem apresentando forte crescimento no Brasil (só em 2016 teve acréscimo de 15% entre seus seguidores). Em nível mundial, a Copa do Mundo é o terceiro maior evento esportivo, só ficando atrás dos Jogos Olímpicos e da Copa do Mundo de futebol. Segundo a Kantar IBOPE, no ano de 2016, a CBRu teve a maior audiência média em mais de 70% dos mercados avaliados na RedeTV e a melhor performance nas principais praças desse canal. 

Adicionalmente, A CBRu aumentou em 450% o valor do seu espaço ocupado na mídia, de R$ 24 milhões no primeiro semestre de 2015 para R$ 130 milhões no primeiro semestre de 2016. Isso demonstra que está havendo um incremento constante na exposição da marca, audiência e retorno para seus patrocinadores.

*LANCEPRESS

Compartilhar:

Publicidade