Nova regra

Após prisão de taxista, EPTC garante que vai extinguir autorização provisória para motoristas

Os condutores de táxi precisarão passar por filtros que comprovem que não têm condenação na Justiça, nem antecedentes criminais

Por Bibiana Dihl
19/04/2017 - 19h56min
Compartilhar:
Foto: Ronaldo Bernardi / Agência RBS

O diretor-presidente da EPTC, Marcelo Soletti, garantiu que não será mais concedido o ¿carteirão¿ provisório, autorização para que taxistas prestem o serviço em Porto Alegre. A mudança no processo ocorre depois que um taxista com antecedentes criminais foi preso, nesta terça-feira. As informações são da Rádio Gaúcha.

Publicidade

Dagoberto Feijó foi preso na Avenida João Pessoa por tráfico de drogas, com crack e cocaína, além de anotações contendo informações sobre os valores vendidos. Conforme a Polícia Civil, ele tinha antecedentes por roubo qualificado e associação criminosa, já que havia sido preso em flagrante assaltando uma loja de calçados.

Leia mais: 
Taxista é preso traficando em Porto Alegre
Motorista do Uber é preso suspeito de roubar carro em Porto Alegre

Soletti garantiu, em entrevista ao programa Gaúcha Repórter, que o motorista estava com o ¿carteirão¿ provisório de 15 dias, que venceria hoje, e que ele havia apresentado negativas criminais que comprovam que não tinha condenação. O diretor-presidente afirmou, também, que a EPTC já iria fazer o descadastramento do motorista porque, durante a autorização provisória, identificou os antecedentes criminais.

– Ele respondeu por alguns crimes, mas em nenhum deles havia condenação. Mesmo assim, ele seria descadastrado em razão dos antecedentes. Há um processo eletrônico de segunda-feira determinando o descadastramento – afirmou.

Após este caso, a EPTC decidiu mudar o procedimento para a aprovação de taxistas. Atualmente, para obter a autorização provisória, os motoristas precisam apresentar apenas negativas de condenação na Justiça. Agora, com a mudança, precisarão passar também pelo filtro que mostra que eles não têm antecedentes criminais.

– Não haverá mais carteirão provisório. A pessoa que quer ingressar no sistema, enquanto não passar por todos os filtros, não vai – garantiu.

Taxistas que atuam há mais tempo já passaram por todos os filtros. De um total de cerca de 10 mil, 400 foram descadastrados.

Compartilhar:

Publicidade