Cinema

Guy Ritchie adapta em "Rei Arthur: A Lenda da Espada" a mítica história para seu estilo violento

Filme estrelado por Charlie Hunnam estreou na última quinta-feira

Por Roger Lerina 19/05/2017 - 12h40min · Atualizada em 19/05/2017 13h48min
Compartilhar:

O diretor Guy Ritchie despontou em Jogos, Trapaças e Dois Canos Fumegantes (1998) e Snatch: Porcos e Diamantes (2000) como uma espécie de resposta britânica a Quentin Tarantino, realizando filmes hiperviolentos cheios de ironia, referências pop e linguagem das ruas. Diferentemente do cineasta norte-americano, porém, o inglês nunca conseguiu ir além do pastiche e da mixórdia em produções que fazem muito barulho, mas pouco dizem. Depois de esculhambar com Sherlock Holmes e os agentes da U.N.C.L.E., Ritchie reduz agora a seu nível rasteiro um ícone cultural ainda mais venerável. Em cartaz na Capital a partir desta semana, Rei Arthur: A Lenda da Espada (2017) mostra o mítico personagem como um garoto criado clandestinamente em um bordel que descobre ser herdeiro do trono da Inglaterra, usurpado de seu pai pelo ambicioso tio.

Publicidade

Leia também
Começa nesta sexta-feira a 13ª edição do Fantaspoa
13ª edição do Fantaspoa terá eventos paralelos às sessões de cinema

A história começa mostrando como o nobre rei Uther (Eric Bana) é traído e morto pelo irmão Vortigern (Jude Law), em conluio com o mago Mordred. Colocado em um barco pelo pai momentos antes de ser assassinado, o pequeno Arthur é encontrado no rio por um grupo de prostitutas que acaba adotando o menino. O jovem cresce moldado pela dureza da vida no submundo sórdido – a frenética sequência que condensa em cenas rápidas e curtas a educação do protagonista na base do muque é uma das melhores passagens do filme. Já adulto e coberto de músculos, Arthur (Charlie Hunnam, o Jax Teller da série Sons of Anarchy) virou uma espécie de cafetão e líder gângster – do bem, claro. Preso por guardas quando fugia, Arthur é obrigado a entrar na fila de homens que tentam retirar a espada Excalibur da pedra na qual está cravada – Vortigern quer descobrir quem é o legítimo sucessor da coroa. O protagonista consegue arrancar a lâmina, mas reluta em encarar seu destino real. No entanto, pressionado por rebeldes liderados por Bedivere (Djimon Hounsou) e que incluem o guerreiro Bill (Aidan Gillen, o Mindinho de Game of Thrones) e uma misteriosa maga (Astrid BergèsFrisbey), Arthur decide enfrentar o tirano Vortigern.

A maçaroca de Rei Arthur mistura O Senhor dos Anéis e GoT, pancadaria e estética de games, monstros em CGI excessivamente artificiais e malandros que parecem saídos de um beco da Londres contemporânea – há até uma escola de kung fu na história. Salva-se pouco: um tenebroso monstro aquático tentacular formado pelos corpos de três bruxas e a atuação sempre competente de Jude Law – cujo pérfido e sádico monarca que interpreta tem o caráter de Macbeth e a aparência do Hamlet vivido no cinema pelo grande Laurence Olivier no filme homônimo de 1948.

Rei Arthur: A Lenda da Espada
De Guy Ritchie
Aventura, EUA/Austrália/Reino Unido, 2017, 127min, 14 anos
Cotação: regular 
Onde assistir: Arcoplex Boulevard, Cine Victória, Cineflix Total, Cinespaço Wallig, Cinemark Barra, Cinemark Ipiranga, Espaço Itaú, GNC Lindoia, GNC Iguatemi e GNC Praia de Belas.


Compartilhar:

Publicidade