No Tribunal

Inter recebe multa, mas não sofre perda de mando em julgamento por briga de torcidas

Popular e Camisa 12 foram suspensas por um ano

Por André Baibich
16/02/2017 - 14h10min
Compartilhar:
Foto: Lauro Alves / Agencia RBS

O Tribunal de Justiça Desportiva do Rio Grande do Sul (TJD-RS) optou por apenas multar em R$ 50 mil o Inter pela briga de torcedores no jogo diante do Veranópolis. O Tribunal entendeu que não houve necessidade da perda de mandos de campo. O Veranópolis também será multado no valor de R$ 10 mil. As torcidas organizadas Popular e Camisa 12 foram suspensas por um ano.

Publicidade

— Vamos agora estudar a melhor maneira de cumprir essa sanção às organizadas — afirmou o advogado do Inter, Rogério Pastl. 

No julgamento, Pastl apresentou aos auditores medidas de conscientização de torcedores promovidas pelo clube e destacou a cooperação do Inter com as investigações do episódio em Veranópolis. A argumentação ajudou a convencer os auditores a não acolher o pedido da procuradoria, que era de perda de quatro jogos de mando de campo.

Leia mais:



O julgamento também tratou de outras denúncias relacionadas ao jogo do Veranópolis. O goleiro Reinaldo, do time da casa, foi absolvido no processo pela entrada em Diego, do Inter. O árbitro Daniel Soder também foi absolvido do processo por não ter aplicado o cartão vermelho a Reinaldo.

Relembre o episódio:

Na estreia do Inter no Gauchão, representantes das torcidas organizadas Camisa 12 e Guarda Popular entraram em conflito durante o primeiro tempo do jogo contra o Veranópolis em 29 de janeiro. A briga começou por volta dos 18 minutos do primeiro tempo, na arquibancada reservada aos torcedores colorados, porque um torcedor da Camisa 12 atingiu o rosto de um torcedor ligado à Popular enquanto girava a camisa no ar. A discussão escalou para as agressões, que se espalharam por todo o setor. Ao perceberem a briga, torcedores da 12 que estavam do lado de fora do estádio tentaram entrar. Impedidos de ingressar, passaram a arremessar pedras para dentro, que depois tornaram-se as mais perigosas armas do tumulto.

O árbitro Daniel Soder interrompeu a partida até a Brigada Militar conter a situação, o que levou tempo. Mesmo com o policiamento ativo, os torcedores seguiram discutindo e arremessando pedras. D'Alessandro e Ceará chegaram a se dirigir à arquibancada para conversar com os colorados, e o capitão bateu boca com os torcedores.

O jogo ficou interrompido por 17 minutos até que os torcedores fossem retirados do local pela Brigada Militar. O Batalhão de Choque retirou 46 torcedores do estádio. Eles tiveram de assinar um termo circunstanciado de ocorrência e, depois, foram liberados. Em reportagem, ZH mostrou que três dos envolvidos na briga de Veranópolis são reincidentes em confusões em estádios

Acompanhe o Inter através do Colorado ZH. Baixe o aplicativo:

IOS

Android

*ZHESPORTES


Compartilhar:

Publicidade