Cidadania

Pelas Ruas chega a 10 mil usuários: veja histórias de quem melhorou a cidade por conta própria

Aplicativo colaborativo dos veículos da RBS alcança, em 46 dias, a marca de 2,3 mil posts

Por Zero Hora
09/05/2017 - 05h05min
Compartilhar:
A comerciante Elaine Pereira transformou um depósito de lixo em um canteiro
A comerciante Elaine Pereira transformou um depósito de lixo em um canteiro Foto: Tadeu Vilani / Agencia RBS

Lixo espalhado, buracos nas vias, mato em canteiros. Problemas como esses, comuns a todas as cidades, cada vez mais podem ser combatidos com a ajuda de quem vive as dificuldades. Iniciativa conjunta de Rádio Gaúcha, Zero Hora e RBS TV, o aplicativo Pelas Ruas já conectou mais de 10 mil pessoas em Porto Alegre e região em uma plataforma que dá voz à população e já ajudou a resolver mais de 200 problemas.

Publicidade

Se muitos foram solucionados após serem retratados nos veículos da RBS, em espaços como os programas Gaúcha Hoje, Jornal do Almoço e em reportagens de ZH, outros foram resolvidos pelos próprios cidadãos. Entre as situações mais relatadas nas 2,3 mil postagens, estão o descuido da própria população com o descarte de lixo, ruas esburacadas e a falta de limpeza de parques e praças.

Líder comunitária no Partenon, Marilia Fidell fez um dos primeiros posts na plataforma. Seu problema — uma árvore danificada que colocava pedestres em risco— foi mostrado em reportagens na RBS TV e ZH e, hoje, está solucionado.

— O aplicativo está sendo muito benéfico para a população, porque graças as matérias que estão sendo feitas, a prefeitura está atendendo mais as demandas. Acho que mais pessoas precisam se apropriar do app — afirma Marilia.

De depósito de lixo a canteiro de flores

Elaine plantou mudas, usou pneus como vasos e fez pinturas na paredeFoto: Tadeu Vilani / Agencia RBS

Há cerca de um ano, a comerciante Elaine Pereira transformou um depósito de lixo em um canteiro: plantou mudas, usou pneus como vasos e fez pinturas na parede. Antes dessa revitalização, o espaço, que fica em um caminho entre a Rua Bertholdo Mario Thebich e a Avenida AJ Renner, era cheio de resíduos e havia proliferação de ratos e de outros animais.

Insatisfeita com o local sujo, a comerciante, em primeiro lugar, pediu autorização de uma oficina mecânica para poder pintar a parede. Depois, quando começou a revitalização, viu sua atitude virar exemplo: algumas pessoas também plantaram mudas no espaço e, aos poucos, os moradores pararam de jogar lixo. Uma professora entrou em contato com Elaine relatando uma ideia que teve: colocar uma placa no canteiro com a frase "Não peça nada a ninguém, faça".

— Fiquei tão feliz. Agora está tão bonito, todo mundo elogia. Queria que mais pessoas tomassem essa iniciativa. O lixeiro passa três vezes por semana, não tem porque as pessoas jogarem lixo na rua — afirma Elaine, que relatou a iniciativa no app Pelas Ruas.

A Secretaria de Serviços Urbanos (Surb) afirmou que essas ações devem ser informadas à prefeitura para que sejam feitas em conjunto com o poder público, de forma organizada e de modo a garantir a manutenção dos locais.

Ocupando o espaço público

O Grupo Escoteiro Cadetes de Mafeking fizeram a capina da Praça Vereador Valneri AntunesFoto: Anderson Fetter / Agencia RBS

O Grupo Escoteiro Cadetes de Mafeking, desde 2014, realiza atividades de escotismo na Praça Vereador Valneri Antunes, no bairro Protásio Alves. De acordo com moradores, a prefeitura de Porto Alegre passou quatro meses sem realizar a capina do local. Com isso, o mato começou a ficar alto, e as práticas que eram realizadas pela equipe se tornaram inviáveis.

— Por causa do mato, começaram a aparecer bichos e não dava para realizar nossas atividades, ainda mais por termos crianças em nosso convívio — explica o presidente do grupo, Carlos Ramos.

Então, como solução, os escoteiros resolveram limpar o local. Os participantes mais velhos da equipe se prontificaram e fizeram a capina. O fato foi relatado no aplicativo Pelas Ruas pela usuária Flávia Souza. Ela resolveu postar a reclamação porque já haviam sido feitas várias solicitações à prefeitura, sem resposta.

— Acredito que todos precisamos fazer a nossa parte para cuidarmos da cidade, mas não podemos tirar a responsabilidade desses serviços da prefeitura, pois há impostos para tais serviços — afirma Flávia.

De acordo com a Surb, por meio do Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU), a capina na Praça Vereador Valneri Antunes foi feita nos dias 14 de dezembro e 5 de abril. A Surb afirmou que o DMLU assumiu a limpeza de mais de 500 praças no final de outubro de 2016, já com defasagem nos serviços. Lembra, ainda, que a capina nas vias públicas foi retomada em 13 de março, com contrato emergencial, depois que a empresa que prestava os serviços paralisou as atividades em janeiro.

Vizinhos mobilizados

A aposentada Fátima Bueno plantou mudas de plantas em uma praça abandonadaFoto: Luiz Armando Vaz / Agencia RBS

De acordo com moradores da região, há mais de 10 meses, a prefeitura não faz a capina de uma praça sem nome, conhecida como Viçosa, no bairro Lomba do Pinheiro. Localizada na Rua Guaíba, a área é sede de torneios de futebol e local de lazer da população. Cansada do descuido com o espaço, a aposentada Fátima Bueno, com a ajuda de alguns vizinhos, armou uma mobilização: ajudou na capina, retirou lixo e plantou mudas de plantas.

— Essa praça era um lixão, pessoas de outros bairros vinham aqui e jogavam sofá, móveis e tudo que é tipo de resíduos. Um dia, quando fui mexer nas plantas, saiu até uma cobra do meio do mato — conta a aposentada.

A questão da segurança também preocupava bastante. Como havia uma parada de ônibus próxima à praça, muitos assaltantes se escondiam no mato.

— Minha filha saía às 6h, eu ficava morrendo de medo — explica Fátima.

Como no espaço ocorrem campeonatos de futebol, os atletas também ajudaram na limpeza, podando árvores e fazendo a capina.

A estudante de Jornalismo Leilane Beck foi quem postou no aplicativo Pelas Ruas. Ela argumentou que estava cansada de ver moradores arrumando a praça, e a prefeitura não ajudar a comunidade.

De acordo com a Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Sustentabilidade (Smams), não é proibido plantar mudas em praças, mas o ideal é que seja feita uma solicitação à prefeitura, que será analisada pela Comissão de Plantio. Pela falta de capina e descuido com a praça, a Surb afirmou que o local deverá ser atendido no final de maio.

Usuário pode acessar com conta de Facebook e Google 

Baixar e usar o Pelas Ruas é grátis. Na última atualização, o aplicativo passou a rodar em celulares com sistema operacional Android a partir da versão 4.1. Para acessar, basta usar sua conta do Facebook ou do Google. Os posts são aprovados por uma equipe da RBS e as denúncias podem virar reportagens.

Além de cobrar do poder público, o app também é uma forma de conectar quem está disposto a cuidar melhor da cidade. Foi o caso nas histórias a seguir, quando a ferramenta foi utilizada para registrar e divulgar iniciativas da comunidade que deixaram ruas e praças mais agradáveis.

OS NÚMEROS
10.032 usuários
2.322 publicações
203 problemas resolvidos

BAIXE E USE
Quer colaborar para melhorar a cidade? O Pelas Ruas está disponível para iOS 9 ou superior e a partir da versão 4.1 do Android. Para baixar, basta entrar na App Store ou na Play Store e buscar o aplicativo pelo nome.

O app é gratuito. Após baixar, para acessar basta fazer o cadastro com a conta do Facebook ou Google. A plataforma colaborativa é uma iniciativa de Rádio Gaúcha, Zero Hora e RBS TV.

Compartilhar:

Publicidade