Crime Organizado

Secretaria da Segurança Pública fecha depósito ilegal em Alvorada

Polícia Civil, Detran, IGP e BM agiram após reportagem do Grupo de Investigação da RBS mostrar como ferro-velho clandestino tomou conta de uma rua

Por Humberto Trezzi e Fábio Almeida
18/01/2017 - 13h19min
Compartilhar:
Depósito em Alvorada tinha centenas de peças sem procedência e também carcaças de automóveis 
Depósito em Alvorada tinha centenas de peças sem procedência e também carcaças de automóveis  Foto: Rodrigo Ziebell / SSP/Divulgação

A força-tarefa dos desmanches - composta por diversos órgãos da Secretaria da Segurança Pública, como Polícia Civil, Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Instituto Geral de Perícias (IGP) e Brigada Militar - vistoriou na manhã desta quarta-feira um depósito clandestino de peças situado na Rua José do Patrocínio, em Alvorada.A rua estava tomada de carros para desmanches, uma irregularidade flagrada pelo Grupo de Investigação da RBS (GDI), em reportagem publicada na terça-feira em Zero Hora e RBS TV.

Publicidade

A parte policial foi coordenada pelos delegados Adriano Nonnenmacher e Marco Guns, da Delegacia de Repressão ao Roubo de Veículos, do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic). Os policiais e servidores do Detran examinaram 14 veículos encontrados no local, conhecido ponto de vendas de peças veiculares de nome Loja do Celso, bem como centenas de partes de componentes automotivos. Não foram encontrados, numa primeira análise, produtos oriundos de furto ou roubo.

A força-tarefa, contudo, recolheu todas as peças e veículos, porque o ferro-velho pertencente ao comerciante Celso Foigt não tem licença estadual e municipal para funcionar. Ele jamais se credenciou no Detran para se adequar à Lei dos Desmanches, que determina que cada veículo e peça desmanchado seja etiquetado e fotografado, além de fornecer notas fiscais para cada venda. Os chassis, motores e caixas de câmbio dos veículos apreendidos serão também examinados, em busca de indício de que tenham sido furtados ou roubados.

Leia mais:
Lei dos Desmanches não engrenou e ferros-velhos ilegais seguem atuando
Governo leiloa carros
Dois desmanches são fechados em Porto Alegre

— Essa atuação conjunta é fundamental para o combate ampliado ao roubo e furto de veículos na Região Metropolitana, um dos maiores problemas criminais do Estado — comenta o delegado Marco Guns. 

Ferro-velho em Alvorada retirava peças em plena rua, de veículos sucateados e que tomavam conta de toda a viaFoto: Lauro Alves / Agencia RBS

O Diretor de Investigações do Deic, delegado Sander Cajal, considera que a verificação da origem de peças e veículos em comércios irregulares é essencial para o enfrentamento de crimes patrimoniais na Capital e Região Metropolitana.O Deic diz que dicas sobre crimes envolvendo veículos podem ser passadas pelo Disque-denúncia 0800 510 2828 ou pelo WhatsApp e Telegram (51) 98418.7814.

Perícia em depósito oficial

O Detran começou, também na terça-feira, a periciar veículos que se encontram no Centro de Remoção e Depósito JAP, de Viamão. Ele é um depósito oficial e possui centenas de veículos em situação de abandono, mal protegidos, como mostrou reportagem do GDI publicada na quarta-feira.

O Detran determinou suspensão cautelar no JAP. Isso significa que ele não receberá novos veículos pelo sistema, mesmo oriundos de blitze, até que as irregularidades constatadas sejam corrigidas. Entre os problemas já diagnosticados está mau-preenchimento de fichas de recolhimento de veículos e sumiço de peças de automóveis, como denunciou a reportagem do GDI.

Foi determinado ainda pelo Detran que a área ainda não cercada do JAP seja melhor protegida. O Detran também vai verificar quais dos veículos ali depositados podem ser triturados e reciclados - alguns estão há anos ali, quando deveriam ficar apenas seis meses, conforme nova legislação que passou a vigorar. Caso ainda restem carros nessa área que não puderem ser abrigados na área cercada, haverá traslado para outros depósitos próximos.



Compartilhar:

Publicidade