Porto Alegre

Diretor da Procempa irá à Câmara para explicar atuação empresarial

Atendendo a requerimento do bancada do PT, Michel Costa prestará esclarecimentos em sessão no dia 17 de agosto

Por Carlos Rollsing
04/08/2017 - 18h01min
Compartilhar:
Michel Costa explica como funciona o teste de monitoramento de GPS em ônibus da Carris, feito por uma empresa da qual é sócio
Michel Costa explica como funciona o teste de monitoramento de GPS em ônibus da Carris, feito por uma empresa da qual é sócio Foto: Félix Zucco / Agencia RBS

Diretor-técnico da Procempa e presidente do Conselho de Administração da Carris, Michel Costa irá à Câmara de Vereadores no dia 17 de agosto para prestar esclarecimentos sobre o eventual conflito de interesses entre a sua função pública na prefeitura de Porto Alegre e a atuação como empresário do setor de tecnologia.

Publicidade

O convite foi protocolado pela bancada do PT. Líder do governo, o vereador Clàudio Janta avisou Michel por telefone, conversa na qual acertaram a data de comparecimento.

Reportagens do Grupo de Investigação da RBS (GDI) revelaram que uma empresa que tem Michel como sócio, a Safeconecta, está fazendo testes de monitoramento da frota da Carris por GPS — etapa que antecede a licitação para contratação definitiva do serviço. Na prefeitura, ele é um dos responsáveis por atuar na aquisição de novas tecnologias para a cidade, principalmente o transporte coletivo.

Diretor da Procempa é sócio de empresa que realiza teste de GPS na Carris
Empresa que criou Banco de Talentos da prefeitura é a mesma que teria recebido R$ 422 mil em superfaturamento do Daer

No segundo semestre de 2016, Michel também foi sócio da OWL Gestão e Tecnologia. Neste período, ela prestou serviços de protocolo no Daer, sofrendo apontamento da Contadoria e Auditoria-Geral do Estado (Cage) de sobrepreço de R$ 422 mil em seis meses de contrato. A mesma empresa, depois de trocar o nome para Disruptcode, foi responsável pelas redes sociais na campanha do prefeito Nelson Marchezan, tendo recebido pagamento de R$ 38 mil pelo trabalho. Por fim, ela ainda desenvolveu e registrou o site do Banco de Talentos, plataforma para envio de currículos de interessados em ocupar cargo no município, uma das principais vitrines do governo tucano.

— Muitas coisas não estão claras, ele precisa explicar suas atribuições na Procempa e como ele desenvolve seus trabalhos empresariais concomitantemente — diz o vereador Adeli Sell (PT).

Ao destacar a existência de uma investigação sobre o caso na Procuradoria-Geral do Município (PGM), Janta afirma que o governo Marchezan "tem mantido uma linha correta". Em maio, a PGM recebeu denúncia sobre o fato de Michel ser sócio da Safeconecta, que prestava serviços na Carris, mas o processo administrativo de apuração foi aberto em julho, após a publicação de reportagens do GDI.

— A Câmara, no seu papel de fiscalizar o Executivo, fez o convite. Ele vai esclarecer a questão do Banco de Talentos, da Carris, da Procempa, e o que mais for questionado — assegura Janta.

A sessão ocorrerá no plenário do Legislativo. Pelo regimento da Casa, Michel terá 30 minutos para se manifestar. Em seguida, 12 vereadores e mais os líderes de bancada podem discursar e fazer perguntas. No final, serão disponibilizados mais 15 minutos de tréplica para o diretor da Procempa.      

Compartilhar:

Publicidade